Olá pessoal!!
Hoje vou indicar o livro Assassinatos na Academia Brasileira de Letras do autor Jô Soares, um livro de suspense policial com uma pitade de humor e com um excelente contexto histórico,livro que vale a leitura.


Assassinatos na Academia Brasileira de Letras  

Sinopse 
Assassinatos na Academia Brasileira de LetrasEm seu terceiro livro, Jô apostou novamente na multiplicidade de gêneros que lhe abriu o reconhecimento internacional como escritor em 'O Xangô de Baker Street' e 'O homem que matou Getúlio Vargas'. O humor lhe serve de ferramenta para refletir sobre tudo. A vereda policial é a linha mais óbvia, mas não se trata de uma ação ao estilo clássico. Jô reconstrói o Rio em 1924 e se interessa não só pelos seus grandes prédios, como o Petit Trianon, no Castelo, que tinha acabado de ser presenteado aos imortais pelo governo da França, como vai alinhavando a trama com detalhes de uma pesquisa histórica saborosa. Quem é o assassino? Quem inventou jeito tão diabólico de maldade? A trama é simples. Imortais da Academia Brasileira de Letras vão morrendo em cartões-postais do Rio. Sem sangue. Estrebucham aparentemente do nada. No bondinho do Corcovado, no altar da igreja da Candelária. A brincadeira proposta por Jô é fazer com que o leitor, no meio de várias pistas, descubra qual é a verdade e identifique o criminoso. Em alguns momentos, é um livro dentro do livro, pois há um imortal que também escreveu 'Assassinatos na Academia Brasileira de Letras'. Tudo é possível. Afinal, do jeito que Jô perfila seus personagens, todo imortal tem algum motivo para querer que a vida de seu colega não seja tão duradoura assim.


Esse terceiro romance de Jô Soares, Assassinatos na Academia Brasileira de Letras, já se inicia com um clima de mistério; pois durante o discurso, o então nomeado como novo imortal da Academia de Letras, o senador Belizário Bezerra, cai fulminado no salão Petit Trianon. Pouco dias depois, ocorre morte súbita de mais um imortal com as mesmas características, sem sangue e nenhum sinal de violência, isso faz com que todos os membros da academia fiquem de orelhas em pé e a tensão é total entre os imortais; pois aparentemente um serial killer estava à solta e queria ver todos os imortais mortos.

Esta série de assassinatos foi denominada como "Crimes do Penacho", e desta maneira despertaram a curiosidade e interesse do comissário Machado Machado, um grande admirador do ilustre escritor Machado de Assis e um figurão carioca que chamava atenção de todos com o seu chapéu-palheta e com a sua pinta de sedutor; porém estava destinado a provar que as mortes que estavam acontecendo não eram coincidências.

Machado Machado, inicia a sua investigação por lugares comuns, entre eles o Café Lamas e o Teatro São José e outros nem tanto, como alguns cemitérios, encontrando todos os tipos de suspeitos, como embaixadores, magnatas, políticos e jornalistas, aumentando assim as suas suspeitas e o mistério sobre os assassinatos.

A trama acontece na cidade do Rio de Janeiro no ano de 1924 e os assassinatos ocorrem em alguns cartões-postais do Rio, como a igreja da Candelária e o bondinho do Corcovado, com as mesmas características dos seus outros livros, o autor Jô Soares, pesquisa e reconstitui lugares históricos, misturando aventura, suspense e muito humor, uma leitura que recomendo.





" Voce mesmo o entreviu de longe, da janela, quando ele fugiu depois de enfiar a primeira mensagem por baixo da porta. As duas testemunhas que nós temos também descreveram o assassino como um homem alto: o rouba-túmulos e o mendigo bêbado da Candelária. Sem ofensa, Machadinho, mas Camilo Raposo é anão! " página 211.


 
Abraços*
Marco Antonio

13 Comentários

  1. Oi Marco!
    Sabe que ainda não li livros do Jô Soares, mas sempre que vejo suas dicas tenho curiosidade em ler.
    Este eu gosto do gênero, parece ser bom.

    Bela dica!
    Bj*

    ResponderExcluir
  2. Amo a escrita de Jô!
    Gostei muito desse livro!
    Beijos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  3. Nossa, eu morro de curiosidade de ler um livro de Jô Soares, é estranho não conseguir associá-lo a um escritor. Acho que preciso vê-lo não apenas como o apresentador bacana que é e conferir os seus livros. Ótima dica!

    ResponderExcluir
  4. Gostei da dica Marco. Ainda não li nenhum livro do Jô Soares e achei esse bem interessante, ainda mais por retratar os crimes em alguns pontos turísticos do Rio de Janeiro. Abraço!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  5. Oie Marco, gostei bastante da dica da resenha, gosto também do Jô, mas nao tenho curiosidade em ler o livro, por mais que seja bem falado e tudo mais.
    Beliscões

    ResponderExcluir
  6. haha, eu sempre soube qual era o estilo de escrita do Jô, mas não sabia que ele misturava tantos elementos que não parecem se combinar em nada - mas que ao mesmo tempo parecem. Entende? rsrs
    Tenho curiosidade de ler algo do autor.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Eu não gosto dos livros do Jô Soares, eu ADORO OS LIVROS DO JÔ SOARES!!!!Rsrs

    Ele tem um humor bem específico e 'peculiar', quem lê nunca mais esquece.

    Beijos, Van - Blog do Balaio
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Marco! Todos falam bem dos livros do Jô Soares, porém, nunca li algo dele, apesar de me parecer excelente! Gostei da dica.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  9. Ainda não li nenhum livro do Jô, mas agora percebi que já deveria ter lido!! Adorei a estória!! Vou procurar pra ler!!

    Estou postando um conto no meu blog!
    Acompanhe: http://universo-invisivel.blogspot.com.br/

    Beijussss;

    ResponderExcluir
  10. Sempre quis ler algo do Jô. Fico curiosa com essa sagacidade e inteligência na escrita que tantas pessoas me falam.
    Assassinatos na Academia me agrada desde a sinopse. Espero ler em breve.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. oie Nessa e marco
    sempre quis ler algo do jô, bom saber que esse livro em suspense e é bom, vai pra minha lista de desejados e futura aquisição
    bjo

    ResponderExcluir
  12. Olá Pessoal e Vanessa,

    Fico feliz que tenha gostado da dica dessa semana, eu gosto muito da escrita do Jô e recomendo...abçs.

    ResponderExcluir
  13. Já me indicaram algumas vezes o Jô como leitura, mas até hoje não adquiri nem li nada sobre suas obras, acho que está na hora de eu repensar e voltar atrás para ler algo dele.

    Boa dica...beijoaks elis

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar seu comentário!