Sinopse: Kate Schechter devia ter prestado atenção aos avisos que o universo tentava lhe dar. No aeroporto de Heathrow, prestes a embarcar para a Noruega, a americana pensa em todos os sinais que lhe diziam para não fazer aquela viagem. Ainda assim, ela não está nem um pouco preparada para a explosão do balcão de check-in, que destrói parte do terminal.
Enquanto isso, no norte de Londres, o detetive Dirk Gently está no fundo do poço: sem dinheiro, vive de bicos como quiromante numa tendinha. Refletindo sobre seu fracasso, ele lembra de repente que, na verdade, tem um cliente e está absurdamente atrasado para o encontro aquela manhã.
Porém, o investigador chega tarde demais. Sentindo-se culpado pela sina do homem, ele resolve mais uma vez fazer uso da interconexão de todas as coisas e vê uma ligação do seu caso com os estranhos eventos no aeroporto.
Abrindo caminho em meio aos elementos mais absurdos, Dirk se depara com uma máquina de refrigerante que aparece nos lugares mais improváveis, uma águia hostil que insiste em atacá-lo, um hospital sinistro para casos exóticos, horóscopos insultuosos e uma calculadora de I Ching.

A longa e sombria hora do chá da alma trata-se do segundo livro da série do detetive Dirk Gently, escrita por Douglas Adams. Porém, como as histórias são independentes não existe problema não ter lido o primeiro livro.

Neste livro, temos dois personagens principais Dirk e Kate. Eles são carismáticos, irônicos e engraçados. O mais interessante é a forma como enfrentam as situações mais absurdas e improváveis que ocorrem o tempo todo. Inicialmente, os dois personagens não parecem ter qualquer tipo de ligação na história, porém ao longo da leitura o leitor vai ligando os pontos e entendendo o quanto os dois estão conectados no mistério que buscam desvendar. Além de Dirk e Kate existem outros personagens interessantes e instigantes que a medida que lemos, nos surpreendemos ao descobrir quem são.

A respeito da narrativa do autor, um aspecto que me chamou atenção é a forma como descreve cada cena com muitos detalhes e a maneira como acontecimentos impossíveis e fantásticos compõe a história de maneira única.
É o primeiro livro do autor Douglas Adams que eu li e confesso que considero difícil tentar explicar a história e o que senti ao longo da leitura, pois contém muitos elementos em uma trama só. Apesar de inicialmente achar a história um pouco confusa, o humor presente na narrativa faz com que a leitura seja leve e permite que no final o leitor consiga montar todo o quebra-cabeça dos acontecimentos, que no início da leitura parece impossível de acontecer.

Acredito que para os fãs do autor e para quem gosta de mistério e humor vale a pena dar uma chance à série deste detetive maluco, pois cada leitor tem as suas próprias percepções e sensações a respeito de uma obra.

O livro é de formato pequeno, contendo 222 páginas amareladas, letra em um tamanho ótimo para leitura, a diagramação está impecável como sempre. Agradeço a Editora Arqueiro por ter me disponibilizado o livro para leitura.


“ Eu posso não ter ido para onde eu pretendia ir, mas eu acho que acabei terminando onde eu pretendia estar”.


Resultado de imagem para duologia tensão

6 Comentários

  1. Oi Stefani,
    Nunca li nada do autor, mas sempre vejo esse livro no catálogo da Arqueiro e fico curiosa.
    Talvez um dia, eu leia sim.
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Stefani!
    Não sabia que o Dirk Gently tinha uma série de livros. Eu adorei a série de TV, mas não sei se leria os livros...
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Quatro Anos de Minhas Escrituras

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nenhum livro desse autor, nem conhecia. O estilo é um pouco diferente dos que estou habituada a ler, mas pareceu bem interessante.

    www.diariodeumajujuba.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, Stéfani.
    Acredito que o humor seja uma das marcas do autor. Não sei se é um livro que eu leria no momento. Não sei porque tenho uma certa implicância com livros com títulos grandes hehe. Mas vou deixar anotado para quem sabe em uma futura promoção hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi
    nem sábia que esse livro era de uma série com outros livros, que bom que gostou, sempre vejo elogios desse autor.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Stefani!
    Douglas Adams tem esse dom de criar histórias pra confundir os leitores,mas pelo menos são histórias que a gente consegue dar boas risadas kkkkkkkkk
    Lê O Guia do Mochileiro das Galáxias,é bem engraçado também e é cheio de referências a elementos da cultura geek hoje em dia.
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar seu comentário!