Categorias:

Oi pessoal, hoje vamos comentar sobre este livro da Virgínia Woolf. Ele reúne sete ensaios, nos quais a autora questiona a visão tradicional da mulher como "anjo do lar" e expõe as dificuldades da inserção feminina no mundo profissional e intelectual da época.

Eu li este livro já faz um tempinho para fazer um trabalho para faculdade, e eu fiquei encantada com a escrita da autora, a forma que ela reflete sobre o assunto. Foi meu primeiro contato com a escrita dela.

É um livro fácil de ler, mas ao mesmo tempo tem que ter atenção para entender o que a autora está tentando dizer, eu gostei muito do livro. Separei alguns quotes e vou comentar o que eu interpretei.

“Sou mulher, é verdade; tenho emprego, é verdade; mas que experiências profissionais tive eu? Difícil dizer. Minha profissão é a literatura; e é a profissão que, tirando o palco, menos experiência oferece às mulheres – menos, quero dizer, que sejam específicas das mulheres”. 
Neste trecho a autora reflete sobre sua profissão que é a literatura, e se questiona quanto a sua experiência profissional. Comenta que não é uma profissão específica para as mulheres.

“[...] Anjo do lar, as mulheres não podem tratar de nenhuma dessas questões com liberdade e franqueza; se querem se dar bem, elas precisam – falando sem rodeios – mentir. Assim, toda vez que eu percebia a sombra de sua asa ou o brilho de sua auréola em cima da página, eu pegava o tinteiro e atirava nela. Demorou para morrer”. 
A autora descreve sobre “O Anjo do Lar”, o seu eu interior, responsável por fazer com que ela escreva o que os outros (homens), querem ler e não o que ela pensa de verdade. Diante disso, ela decide por matar este “Anjo do Lar” para poder se expressar livremente. Ela salienta ainda, que no passado era assim, a mulher não expressava o que realmente pensava em seus livros.

“[...] falando sem metáforas, ela pensou numa coisa, uma coisa sobre o corpo, sobre as paixões, que para ela, como mulher, era impróprio dizer. E a razão lhe dizia que os homens ficariam chocados. Foi a consciência do que diriam os homens sobre uma mulher que fala de suas paixões que a despertou do estado de inconsciência como artista. Não podia mais escrever”. 
Nesta citação, a autora reflete sobre a liberdade de poder se expressar em seus livros como mulher, e de como os homens condenam a liberdade da mulher. Ela comenta também, que mesmo querendo se libertar ela ainda enfrenta obstáculos.

"Na verdade, penso eu, ainda vai levar muito tempo até que uma mulher possa se sentar e escrever um livro sem encontrar com um fantasma que precise matar, uma rocha que precise enfrentar. E se é assim na literatura, a profissão mais livre de todas as mulheres, quem dirá nas novas profissões que agora vocês estão exercendo pela primeira vez"?
A autora afirma que ainda levará muito tempo para que uma mulher consiga escrever um livro, sem que seja influenciada pelos fantasmas da sociedade. Além disso, ela questiona quando isso acontecerá nas novas profissões que as mulheres estão começando a exercer.

Virginia Woolf uma das precursoras do feminismo contemporâneo, além dos seus clássicos modernistas Mrs. Dalloway e Rumo ao farol, escreveu artigos nos quais explorou sem igual a questão da mulher e seu papel em uma sociedade dominada por homens, ideias que ajudaram a pavimentar o caminho do movimento feminista.


O livro é muito bom, Leitura Recomendada


12 Comentários

  1. é a primeira vez que vejo algo sobre o livro, mas quero lê-lo agora mesmo.
    É maravilhoso ter uma percursora para mostrar as dificuldades que as mulheres enfrentam e já enfrentaram.
    Adorei a dica!
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
  2. Oi Nessa!
    Nunca li nenhum livro desta autora, mas já me interessei muito pelo assunto!

    Beijos,
    Pri
    www.vintagepri.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Não conhecia o livro e não sei se leria, porém, de qualquer forma, parece ser uma obra interessante... Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  4. Olá xará, não conhecia esse livro mas, confesso que fiquei interessada em ler, gostei do assunto e também da forma como é abordado.
    Vou ler em breve com certeza.
    beijos.

    www.meumundosecreto.com.br

    ResponderExcluir
  5. Oi Nessa! Nossa faz tanto tempo que não leio nada da Virgínia Woolf bateu uma nostalgia agora. Acho o tem mega pertinente e atual com certeza quero conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa!

    Eu admiro as pessoas que admiram Virgínia Woolf, porque eu pretendo conhecê-la hahaha
    Sério, ainda não li nada dela, mas deve realmente ser tão bom quanto parece.
    Ótimo post.

    Beijos.
    Alana Marques
    http://colecionadoresdelivross.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Preciso desse livro agora mesmo! E de uma cópia deles para distribuir para mulherada <3 amo o assunto!

    ❥ AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir
  8. Uau, esse livro parece ser bem marcante, né? Amei o contexto!


    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  9. É o primeiro livro que estou vendo resenha nesse gênero...parece ser bom.

    BEIJOS****❤
    Blog Resenhas da Pâm

    ResponderExcluir
  10. Olá, Vanessa.
    Não sei se leria esse livro porque prefiro ler ficção. Mas acho que a autora tem toda razão nas coisas que escreveu. As coisas mudaram bastante, mas ainda tem um caminho longo a ser percorrido. Lendo romances de época por exemplo é que vemos quantas coisas que ficamos indignadas e que infelizmente se formos ver ainda estão por aqui.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Gostei da resenha Nessa. Só ouço ótimos comentários a respeito de Virginia Wolf e achei o livro extremamente válido, além da forte alusão ao empoderamento feminino. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Nessa.
    Confesso que não lembro se já li algo dela, mas achei muito interessante a premissa do livro e os quotes que você separou. Dica anotada.
    Bjus
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar seu comentário!