Destaques

Newsletter

13 abril 2018

Crônica: Família

Olá pessoal, gostaria de saber o que família significa para vocês e se já passaram por situações complicadas nela? Não precisam entrar em detalhes, mas o que acham do termo família e do seu significado?

Hoje faço brevemente sobre alguns conceitos de família. Leiam (de verdade) e coloquem a opinião verdadeira de vocês. 
Para quem quiser apenas divulgar sorteios e seus blogs, aqui não é lugar ok? Suas redes sociais serão mais indicadas. 

Agora cliquem no play no final do texto e ótima leitura. 

****

Família 

Família não escolhemos, é o que dizem, mas o que não escolhemos é onde nascemos...ou será que escolhemos sim? O fato é que, em muitos casos, a família de sangue é mais uma forma de batalha do que de paz. É nela que enfrentamos os primeiros obstáculos da vida, é onde vamos encontrar as primeiras divergências, os primeiros erros, os primeiros embates.  Mas existe também outro tipo de família, aquela que escolhemos ou que nos escolhe, nessa a paz reina ... quase sempre, hehehehe.

Família de sangue as vezes faz correr sangue mesmo, principalmente na alma. Não é fácil quando os parentes de sangue ficam te moldando para o jeito deles, ficam te cobrando, muitas vezes, por algo que nem eles conseguiram alcançar, ficam te humilhando, não respeitando seu jeito festeiro ou caseiro de ser. Quando estamos passando por isso não vemos nada de bom, mas  lá adiante temos que admitir que esses embates nos fortalecem. Algumas vezes esse fortalecimento é até excessivo por um lado e aí tem que aparecer outra pessoa para nos ajudar a despertar o outro lado e a equilibrar toda essa bagunça. 

Família de alma em algumas ocasiões nos escolhem, em outras nós escolhemos e em outras ainda...caímos nela de paraquedas. Nessa família vamos encontrar aqueles seres semelhantes a nós, podemos encontrar também seres que gostam de outras coisas mas a alma...essa sempre nos entenderá porque eles compartilham da mesma essência que nós. São pessoas que não conseguimos ficar por muito tempo de escudo na frente deles, porque eles nos enxergam além. Eles podem nos dar uns puxões de orelha mas nunca vão nos julgar e virar as costas para nós. Eles entram em situações doidas por nós, eles nos aceitam e nos ajudam a nos aceitar.

Acredito que nem todos encontrem uma família de alma, mas eu desejo fortemente que todos encontrem...vocês, eu, o mundo.  Desejo que todos nós possamos encontrar o refúgio calmo e seguro para tirarmos as máscaras de super heróis que muitas vezes precisamos usar, um lugar onde possamos ser quem somos, um lugar onde estaremos com nossa família de alma. 

Mas família de sangue pode ser a família de alma? Claro que pode e este é um presente imenso para quem tem. Força, embates, aceitação, conselhos, carinho, porto seguro...tudo isso pode estar no mesmo lugar sim, observe, cresça, aceite a mão estendida, reconheça quem são os membros de sua família. Não dê as costas para quem quer te ajudar, não negue que está precisando do apoio de quem está perto...não se envergonhe perante eles. 

Família da alma... não se canse de procurar, observe quem pode ser, os membros podem estar em qualquer lugar em qualquer circunstância, você não está sozinho, encontre seu porto seguro, encontre sua tribo, encontre suas afinidades, encontre quem te aceita. 


Fernanda Rocha

Comentários via Facebook

18 comentários:

  1. Me identifiquei demais com o seu texto, somos criados para amar profundamente nossa família, mas se ela não nos faz bem, não podemos sentir culpa e ficar perto de pessoas que só julgam e cobram. Muitas vezes, pessoas de fora cuidam mais de nós do que quem deveria cuidar.

    www.kailagarcia.com

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passei por uma situação assim recentemente Kaila, onde pessoas de fora se mostraram mais amigas do que as da família. Volte sempre.

      Excluir
  2. Oi Nessa, gostei do tema de hoje. Realmente a gente tem a família de sangue e da alma e é sempre bom escolher bem que nos acompanha na nossa jornada! Boa reflexão!


    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Mi, é a Fernanda e não a Nessa. Nossa jornada é única, cada dia é único, devemos ter por perto quem nos faz bem.

      Excluir
  3. Hi! lovely blog:D If you want to follow each other blogs please come to my blog and tell me, ill follow you instantly!
    https://leerenlaluna.blogspot.com.es

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hello.
      Are you suggesting followers exchange? I follow your blog and you my?

      Excluir
  4. Gostei da crônica Fernanda. Família pra mim é tudo: minha base, minha estrutura. Já passei por muitos momentos nesta vida - tanto bons quanto ruins - e sempre foram eles que se mantiveram fielmente ao meu lado. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felizes os que possuem pessoas ao lado que podem chamar de família. Gratidão Nessa por estar sempre aqui.

      Excluir
  5. Olá, Fernanda.
    Acho que são poucas famílias de sangue que se dão as mil maravilhas. Até porque na "sua casa" você mostra quem realmente é, diferente de quando está com alguém de fora. Na minha família eu tenho uma boa relação com minha mãe e com um dos irmãos. Já minhas irmãs eu não tenho muita afinidade. Tenho mais afinidade com algumas amigas que considero irmãs.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Sil, família de sangue não é fácil não, é a hora de descobrirmos quem somos de verdade e usar essa descoberta para evoluir.

      Excluir
  6. Oi, Nessa!
    Realmente a família de sangue era para ser aquela que amamos acima de tudo, mas por muita vezes isso não acontece. Eis que temos nossa família de alma para suprir essa falta.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luiza, é a Fernanda aqui e não a Nessa. Há muitas famílias de sangue que se separam por bobagem, muitos valorizam mais o material do que o amor uns pelos outros. Triste isso.

      Excluir
  7. Muito bom o texto!

    http://www.gotasdecafe.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá Fernanda, tudo bem?

    Que texto ein!!! Adorei... minha família com o tempo ficou curta demais e hoje em dia é minha mãe, minha filha e meus irmãos... mas a gente se dá bem da melhor maneira possível e quando nos encontramos ou nos falamos pelo telefone, nos ajudamos. Porém confesso que a família de alma, aquela que Deus me permitiu escolher ou que eu fui escolhida me dou melhor... eu amo estar com os raros amigos que eu tenho, com eles, posso ser eu sem máscaras, sabe... falar o que eu quero e do jeito que eu quero, sem medo... amei seu texto!! Xero!

    https://minhasescriturasdih.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diana, que comentário lindo. Por mais que sua família de sangue seja pequena o que importa é o respeito entre vocês...o que importa é termos ao lado quem nos ama de verdade.

      Excluir
  9. Olá, Fer! Pode anotar esta como sendo mais uma das minhas Crônicas prediletas que vc escreveu até hoje. Um dos grandes problemas é a falta de identificação. Sentir-se deslocado, excluído e diferente no mundo pode gerar muita dor emocional. E essa dor é curada quando nos aceitamos como somos, temos orgulhos da nossa autenticidade e encontramos pessoas com a essência semelhante à nossa. Os amigos são os irmãos que Deus nos permitiu escolher... É maravilhoso formar uma família de alma. Você é uma irmã de alma, assim como os amigos que escolhi fazer parte da minha jornada. Infelizmente, nem sempre a família de sangue dá sustentação moral, física e espiritual que a pessoa precisa. Considero-me uma sortuda, pois minha família de sangue também é minha família de alma. Me identifico espiritualmente com os meus pais e sinto que eles são como mestres espirituais para mim. Quando a família é um obstáculo e o ambiente doméstico é hostil, a pessoa se sente mais carente, desamparada e fica buscando a vida toda por pessoas que representem uma família. Por outro lado, esse obstáculo doméstico pode ser uma grande oportunidade para a pessoa desenvolver a sua coragem, audácia, força interior e originalidade para sair de casa e lutar por novos caminhos. Do mesmo jeito que a pessoa pode ser perder, ela também fica mais próxima do seu poder pessoal para desbravar um caminho novo. Quando o seu ambiente doméstico é confortável e seus pais são muito legais, o mundo lá fora parece mais assustador hehehe e, apesar das facilidades recebidas, há muito mais dificuldade para sair de casa e enfrentar esse "mundão" agressivo. Sair de uma redoma de carinho para um mundo competitivo, é como sair de um jardim direto para uma guerra cheia de espinhos hehehe. Romper a proteção dos pais e se afirmar no mundo com uma personalidade própria também é um desafio e tanto. Talvez para aquele que toda a vida viveu num ambiente hostil, enfrentar o mundo lá fora até seja mais fácil, considerando que a casa da pessoa pode ser pior que os desafios mundanos.... Por mais que o seu pai tenha grandes conquistas materiais e méritos, você também se sente responsável por ter as próprias conquistas e os próprios méritos e não viver eternamente sob a luz dele hehehe. Encontrar a própria luz é a missão de todos. Todos nós temos os próprios desafios nessa jornada de luz. Guardo com carinho os princípios morais de minha família e sigo o que os pais me ensinaram, mas também quero construir o meu próprio caminho. Beijos!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha irmã de alma, irmã de outras vidas, você faz parte da família de alma , família que pude escolher. Realmente, ter o ambiente de casa acolhedor ou como território de guerra tem suas vantagens e desvantagens, mas o que vai valer em ambos os casos é a essência da pessoa, é o interior, é sua força e sensibilidade de escolher os caminhos. Gratidão por estar sempre aqui.

      Excluir

Não esqueça de deixar seu comentário!

Instagram

© Diário de Incentivo à Leitura – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in