Destaques

Newsletter

15 junho 2018

Crônica: A construção de uma apaixonada por atividades físicas

Olá leitores, hoje venho com a minha história de como comecei a praticar atividades físicas e como fui do empurrão até a paixão por se exercitar.

Se você tem uma história semelhante de como conseguiu superar algumas barreiras na sua vida, conte nos comentários.

Antes, não esqueçam de duas coisinhas:
- Participar da pesquisa sobre as crônicas clicando aqui e
- Clicar no play no final para curtir a música


*****

A construção de uma apaixonada por atividades físicas

Imagem relacionada
O texto de hoje é uma passagem de minha vida sobre atividades físicas e o que elas podem trazer para a vida da gente porque sim, elas vão além da melhora do corpo físico, envolve pessoas, sentimentos, ânimo, saúde... O texto ficou grande, aliás, dividi ele em duas partes, uma vai hoje ao ar e a outra parte na próxima sexta.

Sempre gostei de atividades físicas mas nunca tive persistência para continuar por muito tempo. Quando criança, eu tinha uns 9 anos,  fiz curso de lambada e cheguei a me apresentar em um clube do bairro, depois fiz natação por alguns meses e parei, no final do ensino médio fiz mais alguns meses de natação (minha paixão até hoje) com a desculpa do estresse do vestibular mas acabei parando, era muito gasto com cursinho pré vestibular. Muitos anos depois fiz por vários meses: jump e musculação (pela primeira vez na minha vida), nessa época eu estava gostando da rotina mas tive que parar devido a dores no joelho e recomendações médicas, era época de faculdade. 

Anos depois quando já tinha me formado e estava trabalhando, resolvi ser prática e procurei pela academia mais perto do meu trabalho, descobri uma academia de dança e comecei a fazer zumba, ameiiiii e ali vi que tenho adoração por dança mas tive que parar pois estava emagrecendo sem parar e não conseguia recuperar o que eu estava perdendo (pela primeira vez ouvi falar em metabolismo acelerado). Tempos depois resolvo voltar para academia que eu fazia jump e musculação mas ela fechou porque era ao lado da boate Kiss (sim sou da cidade da dita boate, falarei sobre isso em textos futuros) e como a fumaça se espalhou por todos os lados e a academia ficava numa construção colada na boate, tiveram que fechar. 

Enfim, tive que entrar numa academia no meu bairro que eu não tinha muito ânimo para ir, fiquei uns 3 meses apenas e saí. Eita vai e vem nas atividades físicas né? Nessa época assumi uma vida sedentária, ainda mais depois que fui demitida do meu último emprego, aí voltei a mexer quase que diariamente no computador (e foi por essa época que comecei a escrever esses textos), continuei comendo muitaaa porcaria e aqui no sul, principalmente no inverno, tem muita coisa boa de comer (mas nem sempre saudáveis) e apesar de muita porcaria, eu estava magra demais e por mais que as pessoas me dissessem eu não dava bola para isso, me achava bem com 1,69 e 53 kilos. Mas, vida em casa, períodos de descanso e de atividades aleatórias (eu como boa geminiana não consigo ficar quieta nunca), até que tracei metas novas para minha vida e nelas estava algo que eu não queria de jeito nenhum: academia. Ok, a academia do bairro tinha mudado de endereço mas ainda estava no bairro, lá fui eu falar com a prof (que ainda era a mesma) certa que ia ir 3 vezes na semana e pronto. Massss para meu choque (sim, foi um choque) a prof disse que diante dos meus objetivos eu teria que ir todos os dias (quêeeeee??), mas como sou uma pessoa que não dá pitaco em área que não tem conhecimento, obedeci. 

Imagem relacionada
Pessoal, vocês não tem ideia de como me arrastei nas duas primeiras semanas, ia quase que chutando a calçada, sim...infância e birra de criança mal criada baixou em mim...mas lá ia eu, quieta, sem jeito, tímida, sem conhecer quase ninguém e contrariada. Porém na segunda semana de atividades mudou o dono da academia e chegou um professor (e novo dono) muito querido mas eu não queria saber de papo e nessa época começou a doer meu joelho direito e com isso já estava anunciando para um casal de amigos que também fazia atividades lá, que eu ia parar, que meu joelho já estava doendo e ia ver essa parte das novas metas de minha vida depois...revolta deu lugar para o desânimo. 

Amigos são tudo né? Pois eles foram falar com o novo dono e pedir que não deixasse eu desistir. Pois o novo dono (e hoje também amigo, é as coisas mudam) veio rever o meu treino. Coitado, na época ele ficou atucanado pois estava revendo o treino de todo mundo, era muito índio para pouco cacique, mas enfim, revendo meu treino ele descobriu que eu estava com dor no joelho devido a má posição em ummmm, ummmm aparelho. Solução: treino todo refeito, cargas peso pluma e mudança de treino uma vez ao mês. Ok, desisti de desistir mas ainda não estava animada, estava com uma certeza: não tinha força nos braços e portando nem adiantava querer que eu aumentasse os pesos na rosca direta ou puxada alta...era simples: eu não tinha forças (eu era chata e não sabia hahahaha). Mas graças a um puxão de orelha que eu nunca vou esquecer na minha vida, feito por outro professor (que era da noite mas ia eventualmente de manhã), onde ele disse que meu problema era na cabeça e não nos braços, que eu não acreditava que tinha forças mas tinha sim, bastava tentar, testar, bom depois desse dia nunca mais pensei na hipótese de não conseguir fazer algum exercício, eu apenas continuei achando que tipo...supino não precisaria fazer e se fizesse não ia passar dos 6 kilos (atualmente faço com 17 kilos - de cada lado óbvio), que no legpress eu poderia ir no máximo até 80 (faço hoje com 160 kilos) e por aí foi. 

Pela primeira vez, coloquei 5° marcha na minha vida e emendei meses indo na academia 6 vezes na semana ficando lá 1 hr e meia em média por dia. Resultado: 7 meses depois eu tinha ganhado 9 kilos (dizem ser de massa magra), vi meu corpo mudar e eu adorar isso (foi aí que percebi que estava magra demais mesmo), vi meu ânimo melhorar, vi a falta que os exercícios físicos faziam quando tinha um feriado e eu não treinava, vi que a maioria dos meus "não consigo" eram bloqueios mentais. Vi que eu posso ir muito além do que penso ir, vi que as metas que para mim hoje são terríveis de alcançar, nem são tão complicadas assim.  

Também necessitei mudar minha alimentação, com as mudanças nos treinos e os pesos dos aparelhos subindo, a dificuldade aumentando, meu corpo pediu: pelo amor de suas células!!!! coma mais coisas saudáveisssssss!!! E lá fui eu mudando a alimentação, cuidando o que como antes e depois do treino. Era corpo físico mudando geral, na força, e na matéria prima que eu colocava para dentro para fazer ele funcionar do jeito que eu precisava durante os treinos. Mas a mudança foi além: foi mudança mental. Minha cabeça mudou diante de desafios sejam eles quais forem. Também aprendi a me apaixonar por atividades físicas e também, pela primeira vez na vida, não me passa na cabeça parar de me exercitar. Futuramente posso até mudar a modalidade de atividade física, mas parar...nunca! A não ser por um motivo sério, uma recomendação médica mas que seja por um curto período.  Meus treinos ultimamente passaram do motivo inicial que iniciei eles, hoje eles fazem parte de mim....

(continua na próxima sexta)


Fernanda Rocha

Comentários via Facebook

12 comentários:

  1. Todos falam que atividade física pode mudar sua vida mesmo, eu infelizmente ainda não encontrei alguma que realmente me agrade.

    www.estante450.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gostei da crônica Fernanda e da sua história com a academia. Pretendo começar a me exercitar assim que me formar na faculdade e o seu relato foi bem estimulante. Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Fernanda e Nessa, suas lindas, tudo bem com vocês?
    Eu adorava nadar, infelizmente depois de alguns anos, o clube onde eu fazia natação fechou e logo veio a pressão do vestibular e acabei não continuando em outro lugar. Até hoje sinto falta. Mas substitui por caminhadas, que também adoro. É sempre complicado mesmo achar um lugar que goste e conciliar com suas outras atividades. Gostei muito da crônica. Saudades de vir aqui!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Fê
    Eu prefiro fazer aulas de dança do que musculação. Mas eu ando muito preguiçosa e eu preciso fazer exercícios, descobri que tenho colesterol alto, meu problema é o doce e necessito de exercícios. Eu paguei um pacote de academia que termina em agosto, e agora com a função do TCC não tenho ido, mas quero e preciso voltar. Tenho vontade de fazer corrida. Adorei saber da sua experiência e fiquei curiosa pela continuação.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  5. Oi Fê,

    Sempre gostei de atividades físicas, mas diversas circunstancias sempre me impediam de começar algo e continuar. E a maioria das vezes e ainda é, o desanimo me vence. Mas ler o seu texto me deu vontade de tentar de novo e seguir sem desistir, pois quem quer consegue né?
    Bjs e um bom fim de semana!
    Diário dos Livros
    Siga o Instagram

    ResponderExcluir
  6. Oi Nessa,
    Menina... Eu não sou nada adepta a atividades físicas HAHAHAHA
    PORÉM, faço caminhadas por uma questão de saúde mesmo. E sempre ao ar livre. Tenho pavor de academias! HAHAHAHA
    beeeeijos
    https://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. eu sou bailarina e acho importante atividade fisica, isso é muito importante, 1hr por dia é perfeito pq vc esvazia a mente. adorei seu blog e ja estou seguindo. bjs bjs
    https://beperes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá, Fer! Nossa, como admiro a sua persistência e garra, minha amiga. Confesso que sempre fui uma pessoa mais das atividades mentais e literárias do que físicas, mas você é a prova que dá pra conciliar tudo e ter diversas atividades em equilíbrio (ama os livros como eu e as atividades físicas). Eu tinha um pouco de "trauma" dos esportes, porque a Educação Física na minha escola era muito chata e eu era toda desastrada no vôlei (razão pela qual ninguém da turma me chamava para compor o time hehehe). Depois, devido a uma alergia que me dava nas mãos no período do inverno gaúcho (elas ficavam frias e inchadas), levei atestado médico para a escola e passei a ter aula de Educação física teórica ao invés de prática (meu colégio não tinha quadra coberta e os esportes eram praticados ao livre no frio). Não gosto de esportes coletivos, prefiro os individuais e não tive a sua sorte de achar uma Academia que eu me sentisse bem. Gosto de caminhadas ao ar livre, correr e andar de bicicleta. Amo natação e hidroginástica também. Confesso que fiquei muitos anos sedentária quando decidi estudar para ser Advogada hehehehe. Não tinha simpatia por esportes... hoje eu tenho. Hoje o esporte para mim é um momento de reflexão, de fazer bem ao corpo e à alma. Gosto de esportes individuais e com algum propósito ou filosofia. As artes marciais, por incrível que pareça, me atraem. Pratiquei boxe durante 2 anos (só treino, nunca lutei hahaha). Gosto da filosofia das artes marciais que, por mais "violentas" que elas pareçam ser, elas pregam o autocontrole, a não-violência e o domínio do ser. Quando praticamos o domínio do corpo, passamos a dominar melhor a mente. Eu achava que mente e corpo eram separados, mas eles estão juntos. Seu texto me deu coragem para dar meu próprio depoimento sobre minha vida esportiva hehehe. Farei um texto desse assunto também. Sucesso nas atividades físicas. Beijos, Taty.

    tatycasarino.blogspot.com.br -- Recanto da Escritora. Poesias, Textos Místicos, Astrologia e Reflexões.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Nanda!
    Menina, eu sou mais um esporte ou luta que academia, mas infelizmente no meu tempo só rola o último mesmo. Recentemente eu tive que dar uma pausa e senti muito esse efeito. Agora estou correndo atrás pra voltar à forma física.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pela determinação. Com certeza é assim que vencemos. Eu fiquei 5 anos na academia sem parar, eu adoro. Mas esse ano não voltei. Faz 6 meses que estou parada. Mas a correria do dia a dia me fez cansar. Mas já sinto a diferença.. quero voltar, mas com esse tempo de 0ºC que está dando aqui no sul por enquanto não me anima.. quem sabe daqui uns 2 meses..

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi, Fernanda!
    Atividades físicas é um assunto bem complicado pra mim. Eu tenho um problema nos joelhos e que me impede de fazer qualquer coisa com impacto. Tentei entrar na academia, mas um mês depois tive um "derrame" no joelho e tive que parar. Fiz vários tratamentos e ele acabou melhorando, porém tenho lesões em níveis altos e precisei ficar quietinha em casa. Mas pra juntar com tudo isso, eu engordo muito fácil. Ou seja, preciso fazer exercícios! Ai fica aquela dificuldade, né? Fazer exercícios para emagrecer, mas sem fazer impacto. É bem complicado. Minha única saída foi exercício na piscina. Agora faço hidroginástica e adorando! Não estou emagrecendo, mas pelo menos já estou fortalecendo a perna, que é meu objetivo principal.
    Quero muito ver o resto do seu texto, para saber mais sobre os seus exercícios. Parabéns pela determinação!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  12. Olá, Fernanda.
    Eu tenho até vergonha quando vejo postagens como essa, e ainda mais com exemplos como o seu. Eu nunca gostei de fazer atividade física, nem quando era criança, gostava mais de brincadeiras que dava para ficar sentada. Infelizmente isso se reflete no meu corpo e na minha falta de animo hoje em dia. Preciso criar vergonha e mudar meus hábitos e alimentação também.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Não esqueça de deixar seu comentário!

Instagram

© Diário de Incentivo à Leitura – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in