Destaques

Newsletter

21 outubro 2018

Resenha: O jardim esquecido - Kate Morton

Oi meus amores, hoje vou comentar sobre a leitura do livro "O jardim esquecido" da autora Kate Morton publicado pela Editora Arqueiro.

Já começo dizendo que este livro entrou para minha lista de favoritos do ano e está em 1º lugar. Que livro foi este minha gente? UAU, maravilhoso, perfeito, daqueles que é impossível largar até para tomar banho.

Foi meu primeiro contato com a escrita da autora e já fiquei louca para ler todos os livros dela. Sério, escrita impecável, prendendo o leitor desde as primeiras páginas com um enredo instigante, curioso e com muitos mistérios, questões familiares intrigantes e um pano de fundo lindo.

Nell quando completa 21 anos fica sabendo que não faz parte da família em que ela cresceu, o pai adotivo a encontrou com apenas 4 anos em um navio que partiu da Inglaterra para Austrália. Diante da situação ele resolve levá-la.  O tempo passa e quando Nell completa 65 anos seu pai lhe entrega uma maleta branca algo que estava com ela quando a encontrou. Dentro da maleta continha algumas coisas dela, entre eles um  livro de conto de fadas ilustrado. O livro parecia mágico.

Através de algumas pistas Nell começa a investigar sobre o seu passado e o que ela tem a ver com a família Moutrachet. Viaja para a Inglaterra em busca de descobrir sobre sua real família e o que aconteceu com ela, porque a deixaram no navio?

Nesta busca ela vai descobrir mais sobre a autora do livro infantil Eliza Makepeace, a escritora do livro de contos de fadas que viveu na mansão Blackhurst. E assim aos poucos ela vai descobrindo segredos que ficaram na mansão, bem como um jardim secreto, um labirinto e um chalé na Cornualha.

Em 2005 quando  Nell morre sua neta Cassandra vem a descobrir todo esse passado de sua avó e herda como herança a Mansão na Inglaterra. De início Cass fica com vontade de vender esta casa que fica tão longe de onde ela mora na Austrália, mas ao mesmo tempo fica muito curiosa para descobrir quem foi a mãe de sua avó. Por conta disso ela resolve viajar para Inglaterra.

Não vou revelar muito do enredo, pois vai perder a graça e quero que vocês tenham as mesmas surpresas que eu tive. Mas já deu para perceber que a autora criou uma história carregada de emoção, sentimentos, e o mistério permeia por toda história. É impossível parar de ler até descobrirmos quem foi a mãe de Nell, o que aconteceu naquela mansão, no jardim esquecido, o labirinto que é proibido de entrar e o chalé do Penhasco. É muita coisa para ser descoberto.

Os capítulos são intercalados pelos anos e as protagonistas Nell, Eliza e Cassandra. Conforme vamos lendo vamos descobrindo o que aconteceu com a vida de cada uma delas, bem como com a Rose prima de Eliza que também morava naquela mansão. As histórias se interligam de tal forma que aos poucos os pontos vão sendo fechados e costurados e a verdade começa a surgir.

Outro aspecto interessante é que Cassandra também tem um passado marcado por uma desgraça. Ela foi morar com sua avó com 13 anos, sua mãe a levou e nunca mais voltou. E pior que foi bem na época que Nell estava investigando o seu passado e por conta disso acabou não concluindo. Agora tudo que Cass quer é fazer o desejo de sua avó e descobrir quem foi a mãe dela, no caso sua bisavó.

Gente, é pura emoção quando a Cass chega na Inglaterra e vê a mansão, o jardim, o labirinto e o chalé. Ela sente algo diferente naquela casa, e não são os fantasmas como muitos lhe falaram que lá tinha, é o sentimento de pertença, existe algo mágico naquele lugar. E é lá que aos poucos ela começa a desvendar o mistério e acaba mudando o rumo de sua vida.

Fiquei encantada com a escrita da autora, é o tipo de enredo que eu gosto muito de ler. Confesso que fiquei muito emocionada com o final do livro. É aquele tipo de história que nos deixa ávidos pelo final e que ao longo da leitura a história nos faz pensar diversas teorias e no final a autora nos surpreende nos deixando de "boca aberta".

A diagramação do livro está linda, a fonte num tamanho ótimo para leitura, com folhas amarelas. Contém quase 500 páginas, mas que voam porque a leitura é muito fluida e envolvente. Preciso dizer que amei esta capa que tem tudo a ver com a história.

Recomendo a leitura deste livro de olhos fechados principalmente para quem gosta de livros bem construídos com um enredo de tirar o fôlego, cheio de segredos familiares. É emocionante❤

Imagem relacionada

19 outubro 2018

Crônica: Começar do Zero

Muitas vezes  a vida da gente dá umas voltas que precisamos parar mesmo. Não totalmente por que isso é praticamente impossível, mas precisamos respirar e rever tudo na vida. Isso faz bem no sentido de darmos um tempo na vida frenética atual e analisarmos com calma o que estamos fazendo e com que propósito.  Posso dizer que minha vida começou do zero no instante que dei essa parada recentemente, mas quando pensei nesse termo "começar do zero" pensei também que isso é relativo pois podemos mudar muitas coisas na vida da gente mas nunca começar do zero.

Digo isso porque, no meu caso por exemplo, muitas coisas mudaram sim mas continuo morando na mesma casa, treinando na mesma academia, com a mesma família, o mesmo cachorro, mesmo carro, mesmas roupas (apesar de ter separado muitas para dar/vender), com mesmos calçados (idem item anterior), com metas parecidas porém reformuladas em muitos aspectos, com quase os mesmos amigos (os que são verdadeiros apenas reforçaram esse sentimento e os que não eram saíram/tirei da minha vida), continuo com quaseee a mesma alimentação apesar de estar mudando em muitos aspectos. Então dá para notar que por mais que muitas mudanças tenham acontecido, do zeroooooooo não dá para começar. 

Começar do zero é mais uma forma de dizermos: muitas coisas mudaram em minha vida. E como isso é bom!!! E digo mais: necessário muitas vezes.  Com a correria do dia a dia vamos emendando dia e mais dias e mais dias que viram em semanas que viram em meses que viram em anos , sempre no mesmo ritmo e quando percebemos .... passou nossa vida. Começar do zero traz significados novos, traz ares novos, traz sonhos novos e energia nova. 

Na minha vida por exemplo, retirei sim muitas pessoas que nada agregavam, mudei minhas redes sociais como já falei em outra postagem, comecei a me interessar naturalmente por assuntos que eu tinha curiosidade mas que não estava procurando ler sobre (exemplos: yoga, ayurveda, filosofia védica, meditação), entrei em um clube de leitura online, abri uma empresa de assistência virtual e aos poucos estou trabalhando nela com todo meu carinho e e dedicação. Enfim, estou ocupando meu tempo em coisas que me tragam algo bom e estou me afastando (correndo mesmo) de tudo e de todos que me transmitirem coisas ruins ou que eu ver que os assuntos que se interessam não façam parte do meu mundo. Estou procurando fazer exercícios físicos não de forma automática mas procurando sentir como meu corpo está reagindo, o que ele está me dizendo. Estou criando uma rotina diária de leitura de livros diversos com metas de página diárias e tudo mais, ainda mais agora que faço parte de um clube de leitura pela primeira vez na vida. 

São transformações que mudam não somente nossos dias mas nossa forma de ver o mundo, começar do zero nos amadurece, nos faz repensar em nós antes e depois dessas mudanças, começar do zero faz a gente valorizar mais a vida da gente.  Para quem é de fora vê apenas as mudanças de atitude e de tarefas, mas para nós que estamos vivendo a transformação essa mudança vai além, essa mudança é principalmente interna, de mente e coração. Valores são reformulados, entendimentos sobre alguns assuntos são revistos, prioridades refeitas, cuidado com nós mesmos em todos os sentidos amadurecidos. 

Inclusive aqui no blog da Nessa também mudou algumas coisas, uma delas é que esses textos irão ao ar semana sim, semana não e além deles vou fazer algumas resenhas dos livros que estou lendo. 

Por isso pessoal, comecem do zero quantas vezes for preciso, comecem do zero sempre que se sentirem frustrados com a vida de vocês, comecem do zero quando o desânimo for maior que a energia de lutar. Comecem do zero para valer, revejam conceitos, crenças, traumas que possuam, busquem formas de melhorar como pessoas, busquem formas de curar suas feridas, seus traumas, seus medos. Há diversas opções nesse mundão, testem elas, busquem caminhos novos, se renovem sempre que sentirem necessidade. 

Fernanda Rocha

15 outubro 2018

Resenha: Volte para mim - Paola Aleksandra


Oi meus amores, hoje vou comentar sobre a leitura do livro "Volte para mim" da autora Paola Aleksandra publicado pela Editora Planeta.

Desde que vi o lançamento do livro da Paola eu estava doida para ler. Acho que todo mundo por aqui já sabe que a Paola é blogueira e administra o blog Livros e Fuxicos. Além de resenhas e posts no blog ela também tem o canal no You tube. Faz tempo que eu acompanho a Pah, desde que criei o meu blog à sete anos. Fiquei muito feliz com todo o sucesso dela e torço muito pela sua carreira. Eu já conhecia a escrita dela pelas resenhas, mas confesso que fiquei muito surpresa com este livro.

Quem acompanha e conhece a Pah sabe que ela adora romances de época e foi por causa dela que eu comecei a ler o gênero pelos livros da Julia Quinn. Claro que seu primeiro livro só poderia ser um romance de época.

Volte para mim vai contar a história de Brianna Hamilton uma jovem que ao completar 16 anos foge para Escócia, onde mora seu avô. Ela abandona sua família e suas obrigações como herdeira de um duque em busca de se conhecer melhor e poder fazer suas próprias escolhas de vida. Ela deixa para trás sua família e seu melhor amigo Desmond Hunter.

Mesmo com a fuga ela não deixa de ter contato com sua família e é através de cartas que ela fica sabendo tudo que se passa na Inglaterra. Anos se passam e sua mãe fica muito doente, ela sente que precisa voltar, mas posterga seu retorto tudo que pode, pois sabe que não será fácil encarar tudo que ela deixou para trás.

Ao chegar em casa ela se depara com muitas coisas diferentes, inclusive alguns empregados. O encontro com sua mãe é doloroso, mas com sua irmã é bem pior. Ela terá que começar do zero, tentar apagar o passado e tudo que ela causou com sua fuga e construir um novo futuro. Assim, aos poucos ela vai tentando reconquistar um por de sua família.

Mas o pior é o reencontro com seu melhor amigo Desmond que antes da fuga já tinham reconhecido que a amizade deles era muito mais do que só amizade e juras de amor foram feitas. Mas o sentimento de traição, mentiras e muitos acontecimentos faz com e eles se afastem. Desmond nunca respondeu as cartas de Brianna, por conta de um grande equivoco. Claro que o primeiro encontro dos dois faz ressurgir aquela faísca da adolescência, a atração que os dois sentem é inevitável. 

Primeiramente quero dar os parabéns à Pah, menina que talento lindo você tem. Uma escrita impecável que me fisgou e prendeu desde as primeiras páginas do livro. Eu adoro romance de época, mas aqui a Pah nos presenteia com um lindo romance que inclui relações familiares, contexto histórico e um enredo gostoso de se ler. 

Pude perceber que cada parte da história foi bem pensada e pesquisada. Além do contexto histórico da Escócia e Inglaterra, a Pah colocou na história sobre o surgimento da cadeira de rodas e o surgimento da doença Esclerose lateral miotrófica (ELA) que datam em 1824 e que só foi relacionada com problemas neurológicos em 1874. No final do livro encontramos uma nota da autora falando sobre estes dois aspectos que fizeram parte dos estudos dela.

Amei que a cada entrada de capítulo encontramos as cartas de Brianna, e ao longo da leitura temos também as cartas que ela recebeu. Complementou muito bem a história e confesso que eu ficava ansiosa para que chegasse logo as partes das cartas.

O romance entre Brianna e Desmond foi muito delicioso de se ler, apesar dos dois estarem com os sentimentos feridos, com aquela sensação de traição, eles não ficaram como cão e gato, eles estavam magoados e isso impedia com eles conversassem e se acertassem. Mas é claro que o destino dos dois já estava traçado.

Fazia tempo que eu não lia um livro que desse aquele quentinho no coração, sabe? Fiquei totalmente presa na história, gostei muito da forma que Pah desenvolveu todo o enredo e o final é lindo, bem como eu esperava que fosse. Adorei cada elemento da história, mas o Gazebo foi genial e deu um toque todo especial na história.

Dos personagens secundários fiquei querendo saber mais dos irmãos do Desmondo, Ian e  Garret e claro a irmã de Brianna, Malvina com sua personalidade forte e decidida. Bem que a Pah poderia escrever um livro para cada um deles❤ Até porque me pareceu que Ian e Garret estavam disputando a atenção de Malvina, seria perfeito um livro para saber com quem ela irá ficar.

Como vocês puderam perceber eu amei o livro e até favoritei. A forma que a Pah escreve parece uma poesia, as descrições me faziam imaginar a história como se eu estivesse vendo, ela nos envolve de uma forma que conquista e encanta. Só me resta dizer para que LEIAM.

Instagram

© Diário de Incentivo à Leitura – Tema desenvolvido com por Iunique - Temas.in